Regular  |   Esportivo
Atividades Esportivas
Kendo, Iaido e Jodo

Kendo 剣道 significa “O Caminho da Espada” e é a esgrima tradicional do Japão, foi desenvolvida a partir das técnicas do Kenjutsu 剣術, antiga arte marcial cultivada pelos samurais.

No Japão, a espada (Katana) é considerada a mais nobre das armas, era considerada a “alma” do samurai.

Hoje em dia o Kendo é praticado como esporte, combinando valores marciais com o espírito esportivo.

A sua prática requer o uso de espadas feitas de tiras de bambu (shinai) e uma armadura (Bogu), ambas desenvolvidas para proteger a integridade física dos praticantes.

O praticante de Kendo (Kendoka) deve se comportar com educação e respeitar o mestre (Kenshi) e os colegas, assim como cultivar a humildade.

A prática desta arte marcial é saudável e requer muita disciplina. Através dela, aprende-se o cultivo da humildade, do bom caráter e do respeito ao próximo.

Grade de treinamentos:

Quarta-feira:
18:30h às 20:30h (Kendo)

Sexta-feira:
18:30h às 20:30h (Kendo)

Sábado e Domingo:
8:00h às 10:00h (Iaido)
10:00h às 12:00h (Kendo)
12:00h às 13:00h (Jodo)

Seguem as fotos dos equipamentos e vestimentas do Kendô e também das outras artes marciais IAIDO e JODO  e descrição e histórico dessas artes marciais.

     

    

    

    

    

    

    

    

    Kendo   Introdução O Kendo é uma arte marcial Japonesa cujo nome significa “Caminho da Espada” (KEN = Espada; DO = Caminho). Por caminho podemos entender um conjunto de práticas, técnicas e regras de conduta moral. Deste modo, o Kendo apesar de ter presente em si o aspecto competitivo e esportivo presente em muitas outras formas de luta e artes marciais, não se resume a apenas essa esfera da prática. É mais do que isso! É um verdadeiro Caminho (DO) de busca do aperfeiçoamento humano em todas as suas dimensões. Nas palavras de um grande mestre de Kendo e Iaido, “o Kendo é o caminho/busca do crescimento/aprimoramento humano por meio do aperfeiçoamento do manejo/uso da espada”... etem como objetivo, “poder servir, com amor, à pátria e à sociedade, promovendo a paz entre as pessoas”.   Origem

Como origem, o Kendo evoluiu da antiga arte marcial Samurai denominado genericamente por Kenjutsu, ou a arte do uso da Katana, a espada dos Samurais. Desta forma, é intrínseco ao Kendo, ainda hoje, o aspecto fortemente marcial original da antiga arte da esgrima japonesa, o que faz do Kendo uma arte marcial altamente vigorosa tanto física quanto psicologicamente.
 
A Essência do Kendo
Em Kendo, apesar do aspecto físico e técnico estar fortemente presente, treina-se muito mais do que essa faceta externa da arte marcial. O Kendo visa, através de técnicas objetivas do uso da espada, treinar os praticantes (kenshis) a superar os quatro obstáculos mentais considerados as quatro fraquezas, ou “armadilhas” ou ainda “venenos” que habitam freqüentemente a mente do ser humano: o medo, a dúvida, a surpresa e a confusão.
 
No Kendo a prática (treino ou keiko em japonês) inicia-se com “Rei” e finaliza-se com “Rei” (pronuncia-se o “r” como em “arara”). A palavra “Rei” além de significar cumprimento, saudação ou reverência, a alguém ou a um altar, possui neste caso também um significado mais profundo. Esse significado contempla o conceito de “Reigi” que em japonês significa disciplina, respeito, correta conduta para se agir frente as mais diversas pessoas, situações e ambientes. Este conceito, ou atitude, é profundamente valorizada e arraigada na cultura japonesa, e por isso mesmo permeia toda a prática do Kendo. Tal atitude desejada em todas as nossas ações é buscada persistentemente pelos praticantes do Kendo e está presente em todos os treinos dessa arte. Tal característica faz do Kendo uma das artes marciais japonesas que mais preserva a essência do Budo (Caminho Marcial japonês) e da própria cultura japonesa.
 
A Prática
Um treino ou aula de Kendo começa com os senseis (mestres) e kenshis (alunos) perfilados frente a frente. Após um comando todos se sentam em seiza (forma de sentar-se mantendo a coluna ereta), após o que por alguns momentos todos permanecem em estado de meditação (Mokuso) buscando a serenidade da mente e do corpo. Só então após novo comando, todos fazem a saudação “Rei”, que se repete aos senseis e depois aos companheiros de treino, e colocam o equipamento de proteção (Men e Kotê) que completa a armadura típica usada no Kendo. Agora, todos estão prontos para o treino...
Na prática do Kendo usa-se uma espada reta de bambu denominada shinai, formada por 4 varetas de bambu unidas por partes de couro, e uma armadura de proteção (bogú) inspirada nas antigas armaduras dos samurais (Yorói). O bogú é formado por 4 peças: Men (elmo de proteção da cabeça e garganta), (proteção para peito e abdomen), Tarê (proteção pélvica) e Kotê (luvas de proteção para mãos e antebraços). O bogú é usado sobre um traje tradicional, típico dos homens japoneses e dos antigos Samurais formado por duas peças: o keikogi ou kendogi (lê-se “keiko/kendogui” que é basicamente igual aos chamados no ocidente genericamente de “kimonos” como o de Judô ou do Karatê); e o hakamá (espécie de “saia-calça” larga com longas pregas que lhe dão o aspecto de uma saia longa que chega até os tornozelos).
No Kendo, além da luta propriamente dita usando os shinais, há também a prática de katas (seqüências de formas pré-definidas) em dupla, que simula uma luta real com katanas. Nos katas, que no Kendo são em número de dez no total, usam-se espadas de madeira (bokutos), que são réplicas das katanas.
 
Na sua forma externa o Kendo é uma forma de esgrima rápida e vigorosa caracterizada por golpes objetivos e pelo uso do kiai, “grito” que manifesta a força ou energia interior do lutador, denominada Ki em japonês. Os golpes no Kendo visam atingir a cabeça (Men), a garganta (Tsuki = estocada frontal), o abdômen () e os pulsos (Kotê), e numa luta (Shiai) vence quem marcar primeiro dois pontos (dois golpes válidos) em combates que podem variar de 3 a 8 minutos de duração dependendo do campeonato, sendo 3 a 5 minutos o mais comum. Ao final desse tempo, havendo um empate a luta segue sem limite de tempo até um dos lutadores marcar um golpe (ponto) válido. Entretanto, vencer um combate não é o principal objetivo e sim “fazer o seu melhor” entregando-se de corpo e alma ao combate de forma sincera. Assim, na prática do Kendo não há vencedores e perdedores, mas sim companheiros no mesmo caminho de aperfeiçoamento pessoal, e como tal, cada luta, cada treino, deve terminar da mesma forma sempre, com “Rei”, o profundo respeito e reverência entre os kenshis.

 

 

 
 JODO

 O Caminho do Bastão

O Jodo é uma arte marcial tradicional do Japão e, assim como o Iaido, está intimamente ligada ao Kendo. Embora o Jodo utilize o bastão, suas técnicas, formas e história possuem relação direta com a Katana.

 A prática do Jodo faz parte da grade oficial da ZNKR (Zen Nihon Kendo Renmei) ou AJKF (All Japan Kendo Federation). Essas siglas se referem à Federação de Kendo do Japão, que sintetizou o Shinto Muso Ryu Jojutsu (escola original do Jo) em um conjunto de formas chamado Seitei Jodo Kata e implementou um sistema de graduação (dan/kyu) para seus praticantes, semelhante ao utilizado no Kendo.
O que é o Seitei Jodo Kata da ZNKR?   O Seitei Jodo Kata é um conjunto de 12 formas, selecionado a partir do currículo original do Shinto Muso Ryu Jojutsu e adaptado para praticantes de Kendo e Iaido.   Esse conjunto foi criado por Takaji Shimizu Sensei, o 25º grão-mestre do Shinto Muso Ryu, e apresentado à cúpula da ZNKR em 1968, sendo demonstrado pelo próprio Shimizu Sensei e por Nakajima Sensei. Após a aprovação por parte da ZNKR, o Seitei Jodo Kata foi apresentado ao público em 1969 por Takaji Shimizu Sensei e Ichizo Otofuji Sensei.   O Seitei Jodo Kata é praticado com as seguintes armas:  
  • JO – bastão de madeira (128 cm x 2,4 cm)
  • TACHI – espada de madeira (101,5 cm) - bokuto
 A pessoa que porta o JO é chamada SHIJO, enquanto que a pessoa que porta o TACHI é chamada UCHIDACHI.   Os alunos aprendem o Seitei Jodo Kata na seguinte ordem:  
  • KIHON (12 movimentos básicos)
    • Tandoku dosa (prática individual)
    • Sotai dosa (prática em dupla) – Shijo
    • Sotai dosa (prática em dupla) – Uchidachi

KATA (12 formas)

  • Shijo
  • Uchidachi
    Obs.: dependendo do Sensei, os alunos também podem aprender formas adicionais pertencentes ao Shinto Muso Ryu Jojutsu.    Kihon e Kata    KIHON  
Ordem
Movimento Básico
Descrição*
Ippon-me (1) Hon Te Uchi Atacar com pegada principal
Nihon-me (2) Gyaku Te Uchi Atacar com pegada invertida
Sanbon-me (3) Hiki Otoshi Uchi Puxar e derrubar
Yonhon-me (4) Kaeshi Tsuki Estocar em reverso
Gohon-me (5) Gyaku Te Tsuki Estocar com pegada invertida
Roppon-me (6) Maki Otoshi Rolar e derrubar
Nanahon-me (7) Kuri Tsuke Girar e prender
Hachihon-me (8) Kuri Hanashi Girar e projetar
Kyuhon-me (9) Tai Atari Golpear com o corpo
Juppon-me (10) Tsuki Hazushi Uchi Atacar esquivando de estocada
Ju-Ippon-me (11) Do Barai Uchi Atacar protegendo o tronco
Ju-Nihon-me (12) Tai Hazuchi Uchi (migi/hidari) Atacar esquivando o corpo (direita/esquerda)
    SEITEI JODO KATA  
Ordem
Forma
Descrição*
Ippon-me (1) Tsuki Zue Bastão que alcança
Nihon-me (2) Suigetsu Plexo solar
Sanbon-me (3) Hissage Pôr para baixo
Yonhon-me (4) Shamen Diagonal
Gohon-me (5) Sakan Penetrar pela esquerda
Roppon-me (6) Monomi Observação
Nanahon-me (7) Kasumi Névoa
Hachihon-me (8) Tachi Otoshi Derrubar a espada
Kyuhon-me (9) Rai Uchi Ataque de trovão
Juppon-me (10) Seigan Mirar entre os olhos
Ju-Ippon-me (11) Midare Dome Deter a desordem
Ju-Nihon-me (12) Ran Ai Da desordem à harmonia
    * As descrições de Kihon e Kata se baseiam no sentido literal dos seus nomes. 
Iaido
Introdução A prática do Iaido se reveste de grande profundidade pois o Iai tem como objetivo o autodomínio do praticante e a derrota do adversário sem a necessidade de desembainhar a katana, i.e. a conquista psicológica do adversário sem que haja necessidade do uso da espada. O Iai proporciona um estado mental focado e sereno ao praticante, podendo ser entendido como uma disciplina meditativa.
A espada no Iaido é um instrumento espiritual, sem dimensão material. As horas de treinamento dedicadas para que se posa atingir o domínio da técnica são horas em que o praticante entra em contato com seu eu interior (espírito).
A Historia A tradição e história do Iaido remontam cerca de 500 anos. O Iaido, como é conhecido atualmente, começou, provavelmente, com Iizasa Choisai, o fundador do estilo Tenshin Shoden Katori Shinto Ryu. Essa escola ou tradição incluía, em seu currículo, a prática com vários tipos de armas. Desde o uso da espada e do bastão (Jo) ao arremesso de facas e ao uso de lanças (naginatas). Uma parte de seu currículo consistia na técnica de desembainhar rápido e golpear imediatamente com o uso de espadas. Essa técnica era usada para autodefesa ou ataque preemptivo. Essa parte do currículo tinha o nome de Iai Jutsu. É reputado a Hayashizaki Jinsuke Shigenobu (1542-1621) ter recebido inspiração divina para o desenvolvimento de sua técnica, assim como Iizasa Choisai. Inspiração essa que o levou a desenvolver um conjunto de técnicas que denominou Muso Shinden Jushin Ryu Batto Jutsu. Atualmente, é considerado o fundador do Iaido. O fator comum relevante em ambas as tradições (escolas) ou Ryu, assim como em muitas outras tradições que lidavam com katana, era que suas práticas envolviam somente o uso de katas (individualmente ou com mais de uma pessoa - Kumitachi), i.e. sempre preconizavam adversários imaginários em seus treinos. A Essência do Iaido Como uma arte marcial pode ser efetiva quando é praticada somente com o uso de katas contra oponentes imaginários? Essa questão é mais profunda e difícil de responder do que pode parecer inicialmente. O problema começa na definição de ‘efetiva’ e que efeito se deseja obter. Claro que nos katas não existe oportunidade de comprovação da técnica do praticante em combate, como existe no kendo. O rigor na repetição dos movimentos do kata não deixa também espaço para adaptações em resposta às ações de um adversário real. Como uma arte marcial contextualizada no mundo atual, é muito fácil enxergar, superficialmente, o Iaido e outras formas de esgrima como extemporâneas, simplesmente por não ser usual nem esperado que alguém saia pelas ruas portando uma espada. O que deve ser notado no entanto, é o que está por baixo dessa observação superficial. O que deve ser observado é o modo como o praticante deve se portar para evitar conflitos. Isso foi explicado milênios atrás por Sun Tsu em sua obra A Arte da Guerra e, posteriormente, por muitos estrategistas. O praticante que treina com dedicação e correção e com a orientação de um Sensei, desenvolve a habilidade de reconhecer situações difíceis e de como evitá-las antes que se tornem problemas de fato. Mesmo sendo inevitáveis, ele aprende a enfrentá-los antes que atinjam grandes proporções. Mesmo algumas sendo inevitáveis, o praticante aprende a manter um estado de espírito e postura corporal e mental, que não oferece, ao adversário, oportunidade de agredi-lo. Essa é a essência do Iaido. O Kanji ‘I’ também pode ser lido como ‘ite’ e ‘ai’ como ‘awasu’ na frase Tsune ni ite kyu ni awasu que significa: seja onde e o que estiver fazendo, sempre esteja preparado. Como preparado entende-se não só estar alerta mas também ter treinado rigorosamente para que, se necessário, uma técnica decisiva possa ser utilizada para terminar um conflito. Golpes com uma katana normalmente são cabais, mas esse não é o ponto. No mundo dos negócios a pessoa deve estar preparada e agir decisivamente quando necessário. Será que a pessoa está preparada, tem a autoconfiança necessária? Quando um amigo desaponta uma pessoa, ela consegue lidar bem com esse tipo de situação, entendendo completamente as implicações e as conseqüências de suas ações? Ao cruzar uma rua e um carro aparecer como do nada ou algo cai sob sua cabeça enquanto está caminhando, seu corpo se encontra suficientemente equilibrado e sua mente suficientemente clara para lidar com esse tipo de situação e se colocar em segurança? Todos esses são exemplos práticos da aplicação do Iaido no mundo moderno. A Estrutura do Kata Cada kata segue a mesma estrutura básica de quatro partes: Nukitsuke (desembainhar e cortar) Kirioroshi (corte principal com o uso das duas mãos) Chiburi (retirada do sangue da lâmina) e Noto (embainhar a espada); existem dentro desse formato variações consideráveis. Dentro das mais comuns encontram-se: golpear para frente com o tsuka (empunhadura da katana) antes de desembainhá-la, puxar a bainha (saya) para trás e golpear imediatamente girando-se para trás, cotar em ângulos diferentes de horizontal e vertical, e.g.: diagonalmente de baixo para cima e de cima para baixo ou pela lateral, entre outros. O Formato de uma Seção de Treino Após o aquecimento e alongamento, o treino começa com o rito de etiqueta de abertura, que consiste de kamiza ni rei (curvar-se para o lugar sagrado ou para a autoridade), sensei ni rei (curvar-se para o instrutor) e o to rei (curvar-se para o katana). Em seguida inicia-se uma seção de suburi (prática dinâmica de cortes) e kihon incluindo Chiburi e Noto. A depender do tamanho e nível da turma, outras técnicas derivadas dos katas são exercitadas antes da prática dos katas propriamente dita ser iniciada. A série de katas, freqüentemente, se inicia com o sensei explicando algum ponto que deve ser especialmente observado pela classe ou por algum subgrupo específico da mesma. A isso se segue a pratica formal, em que todos praticam os katas em conjunto sob o comando do líder do dojo ou um treino livre quando os katas são praticados sem sincronismo e individualmente, cabendo ao instrutor a observação e correção de pontos de cada praticante de forma individual. Ao final da seção, todos fazem a etiqueta de fechamento em conjunto. O Keiko
Esse termo significa treino ou prática, mas é mais que isso. É o estágio em que os movimentos são aperfeiçoados por repetição lenta, dividindo-se o kata em suas partes componentes e pela contextualização da técnica em situações e confronto real. Com o tempo, o praticante começa a entender os princípios de Metsuke (correto uso dos olhos), Seme (pressão sobre o adversário) com o objetivo de controlar o adversário. Durante o keiko também são apreendidos os conceitos de Maai (distância de combate) e Ma (tempo - timing).
O Currículo
O aluno, após aprender as bases de como segurar a katana e cortar, é introduzido gradualmente aos doze katas padronizados pela AllJapan Kendo Federation. Esses katas foram desenvolvidos para servir como um padrão para ensino, graduação e competição de forma e para possibilitar aos praticantes de Kendo a prática com espadas reais. Seus movimentos são derivados das formas das escolas antigas (koryu) mais difundidas e, embora representando um estudo base para preparação da prática de koryu, eles continuam sendo usados mesmo em estágios mais avançados, como as formas padrão utilizadas pelos senseis para demonstrar princípios básicos da técnica.
Além das formas padronizadas, existem as formas das escolas antigas (koryu). As escolas antigas mais difundidas no Japão são Muso Shinden Ryu e Muso Jikiden Eishin Ryu, ambas são derivadas da tradição Muso Shinden Jushin Ryu Batto Jutsu.
À medida que o estudante progride, o alcance da interpretação dos katas se amplia. Enquanto os estudantes iniciantes têm um conjunto de movimentos rigidamente definidos, os estudantes mais avançados já são capazes de imaginar o Kasso Teki (inimigo imaginário) se movimentando e agindo diferentemente. Assim, eles adaptam os katas de acordo com a necessidade. De modo similar, nas práticas em duo, o estudante (shidachi) deve aprender a cobrir seus pontos fracos (Suki - aberturas), caso falhe, o professor (uchidachi) deve mostar-lhe onde ele está fraco, podendo atacá-lo de forma diferente do prescrito originalmente no kata. Isso é o início do aprendizado de como estar sempre preparado para qualquer eventualidade no Iaido.
Os Nomes dos Katas do Iaido

SEITEI GATA
1. Ippon-Me - Mae 2. Nihon-Me - Ushiro 3. Sanbon-Me - Uke nagashi 4. Yonhon-Me - Tsuka ate 5. Gohon-Me - Kesa guiri 6. Roppon-Me - Morote zuki
7. Nanahon-Me - Sanpo guiri 8. Hachihon-Me - Ganmen ate 9. Kyuhon-Me - Soete zuki 10. Juppon-Me  - Shiho guiri 11. Juichihon-Me - Soh guiri 12. Juunihon-Me - Nuki uchi    
SHODEN (OMORI RYU)
1. Ippon-Me - Shohatto 2. Nihon-Me - Sato 3. Sanbon-Me - Uto 4. Yonhon-Me - Atarito 5. Gohon-Me - Inyoshintai 6. Roppon-Me - Ryuto 7. Nanahon-Me  - Junto (kaishaku) 8. Hachihon-Me - Gyakuto 9. Kyuhon-Me - Seichuto 10. Juppon-Me - Koranto 11. Juipponhon-Me - Nukiuchi (batto) 12. Juunihon-Me - Inyoshintai kaewaza   CHUDEN (HASEGAWA EISHIN RYU) 1. Ippon-Me - Yokogumo 2. Nihon-Me - Toraissoku 3. Sanbon-Me - Inazuma 4. Yonhon-Me - Ukigumo 5. Gohon-Me - Yamaoroshi (oroshi) 6. Roppon-Me - Iwanami 7. Nanahon-Me - Urokogaeshi 8. Hachihon-Me - Namigaeshi 9. Kyuhon-Me - Takiotoshi 10. Juppon-Me - Nukiuchi  
OKUDEN (OKUIAI) Okuden – (Tate Hiza no Bu) 1. Ippon-Me - Kasumi 2. Nihon-Me - Sunegakoi 3. Sanbon-Me - Shiho giri 4. Yonhon-Me - Tozume 5. Gohon-Me - Towaki 6. Roppon-Me - Tana shita 7. Nanahon-Me - Ryozume 8. Hachihon-Me - Tora bashiri Okuiai – (Tachi wasa no Bu) 1. Ippon-Me - Yukitsure 2. Nihon-Me - Rendatsu (tsuredachi) 3. Sanbon-Me - Somakuri 4. Yonhon-Me - Sodome 5. Gohon-Me - Shinobu 6. Roppon-Me - Yukichigai 7. Nanahon-Me - Sodesurigaeshi 8. Hachihon-Me - Moniri 9. Kyuhon-Me - Kabezoi 10. Juppon-Me - Uke nagashi   Itomagoi – (Seiza no Bu) 1. Ippon-Me - Ichi itomagoi 2. Nihon-Me - Ni itomagoi 3. Sanbon-Me - San itomagoi  
O Equipamento
O Iaido é normalmente praticado usando-se hakama (calça larga pregueada) e keikogi (kimono de treino). Deve ser usado um obi (cinto para segurar o saya) sob o hakama. O hakama normalmente é preto, branco ou azul marinho, sendo o keikogi da mesma cor do hakama. Não existe indicação de graduação nas roupas. Podem ser usadas espadas de madeira (bokuto) para iniciantes ou Iaito (katana feitas de liga cromada) para os mais experientes. O dojo deve ser uma área plana, de chão liso, de preferência de madeira, sem cobertura (tatame) e com pé-direito suficientemente alto para permitir o giro das espadas (normalmente mais de três metros).
Onde e quando treinar Maiores informações podem ser obtidas no site da AKRJ em http://akrj.org/ As sessões de treino ocorrem todos os sábados e domingos na Associação Nikkei do Rio de Janeiro (http://www.nikkeirj.com.br/) sempre das 8:00h às 10:30h. 
topo